Por que a semana tem 7 dias?




Aposto que você acha a semana longa e o fim de semana, curto. E que já sonhou trocar as bolas para ir à escola só dois dias e brincar por outros cinco! Mas por que os nossos calendários são organizados em semanas de sete dias?

A resposta está no céu. Ao olharem para a Lua, povos antigos notaram que ela mudava de forma em intervalos regulares de tempo: aparecia cheia como uma bola (lua cheia), depois ia diminuindo até ficar pela metade (quarto minguante), continuava a diminuir até virar um aro bem fininho e desaparecer (lua nova) e, em seguida, voltava a crescer até ficar pela metade (quarto crescente). A separação entre cada fase (cheia, quarto minguante, nova e quarto crescente) dura sete dias e algumas horas e é resultado do movimento da Terra em torno do Sol.

Talvez só isso já fosse suficiente para que o homem contasse períodos de sete dias, mas houve outro fator importante. Da Terra, observamos sete astros que se movem no céu – o Sol, a Lua e os cinco planetas que podemos avistar a olho nu: Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno. Os antigos babilônios (povos que viveram na região onde hoje é o Iraque) acreditavam que cada um dos dias era regido por um desses astros.

Na maioria das línguas latinas – isto é, que têm origem na Roma Antiga –, os dias da semana recebem nomes que homenageiam os deuses romanos simbolizados por esses corpos celestes. Em espanhol, por exemplo, segunda-feira é lunes, ou “dia da Lua”. Terça-feira, em francês, é mardi, que quer dizer “dia de Marte”. Quarta-feira em italiano é mercoledi, que quer dizer “dia de Mercúrio". E assim por diante. Na maioria das línguas faladas na Índia, os dias da semana também correspondem a esses astros. Por exemplo, a quarta-feira, buddhavar, vem do nome védico para Mercúrio, Buddha. Já nas línguas germânicas – falada entre outros antigos povos da Europa –, alguns dos dias da semana homenageiam os deuses. Por exemplo: em inglês, quarta-feira é wednesday, que homenageia o deus germânico Wodan, também conhecido como Odin.

Depois de saber disso tudo, você ficou convencido de que a semana deve ter sete dias? Pois saiba que nem todo mundo concorda. Ao longo da História, diversos povos adotaram semanas com durações bem diferentes. Alguns antigos habitantes da Europa, como celtas, etruscos e primeiros romanos, tinham semanas de oito dias. Outros, como os povos bálticos, adotavam semanas de nove dias. Há, ainda, registros de semanas de dez dias entre chineses e egípcios antigos. E até hoje, os javaneses – habitantes da ilha de Java, na Indonésia – têm semanas de cinco dias, que eles chamam de ciclo de Pasaran. Mas vou guardar tudo isso para uma outra conversa!

Gisele é a modelo que mais faturou; lista da "Forbes" tem outras três brasileiras

A revista "Forbes" divulgou nesta semana ranking das modelos que mais lucraram nos últimos 12 meses.

No topo da lista está a brasileira Gisele Bündchen, 28, que ganhou US$ 25 milhões (cerca de R$ 50 milhões). A estimativa foi feita entre julho de 2008 e junho deste ano.

Em segundo lugar, aparece a alemã Heidi Klum, 35, que também é apresentadora, e está grávida de seu quarto filho. Ela ganhou US$ 16 milhões (R$ 32 milhões).

Outras três brasileiras aparecem nas 11 primeiras posições: Adriana Lima, Alessandra Ambrosio e Emanuela de Paula.


Segundo a revista, as modelos conseguiram expandir seu poder para além da moda. "A era da modelo 'multi' substituiu a época das supermodelos, dando para essas garotas mais poder de ganho do que nunca", diz a reportagem que acompanha o ranking.

Veja a lista completa.

1. Gisele Bündchen (brasileira)
US$ 25 milhões

2. Heidi Klum (alemã)
US$ 16 milhões

3. Kate Moss (inglesa)
US$ 8,5 milhões

4. Adriana Lima (brasileira)
US$ 8 milhões

5. Doutzen Kroes (holandesa)
US$ 6 milhões

5. Alessandra Ambrosio (brasileira)
US$ 6 milhões

7. Natalia Vodianova (russa)
US$ 5,5 milhões

8. Daria Werbowy (canadense)
US$ 4,5 milhões

9. Miranda Kerr (australiana)
US$ 3 milhões

10. Carolyn Murphy (americana)
US$ 3 milhões

11. Emanuela de Paula (brasileira)
US$ 2,5 milhões

fonte folha online

Casa de Curtindo a Vida Adoidado está à venda

Os fãs de Curtindo a Vida Adoidado com toda certeza lembram da casa de Cameron, o melhor amigo de Ferris Bueller. Principalmente das paredes de vidro da garagem, onde os personagens tentam reverter a quilometragem da Ferrari do pai de Cameron e acabam provocando um enorme estrago (veja o vídeo abaixo).

Pois agora qualquer um com US$ 2.300.000,00 pode se candidatar a ocupar o imóvel, que fica no número 370 da Rua Beech, em Highland Park, no estado de Illinois. Construída em 1953, ele está sendo oferecido em sites de venda como um “tesouro arquitetônico”.

A casa, que teve um único dono até hoje, tem quatro suítes, quatro quartos simples e mais quatro banheiros, além de uma ampla cozinha, sala de jantar e sala de visitas com lareira, e ocupa 1.615 metros quadrados em uma ravina, cercada por uma pequena floresta.

E, um detalhe importante: a garagem, que comporta três carros, está intacta. Mas não vem com a Ferrari dentro.



Susan Boyle canta novamente na TV e vai à final

veja no link primeira apresentação
http://www.youtube.com/watch?v=j15caPf1FRk



Susan Boyler, a escocesa que virou sensação na internet, apareceu na televisão inglesa novamente neste domingo e impressionou com sua voz - mas não alterou seu visual "desarrumado".
A tímida Boyle, que é voluntária em sua igreja, fez uma performance excitante, mas nervosa, no programa "Britain's Got Talent", cantando a música "Memory", do musical "Cats".
Os telespectadores do programa, votando por telefone, a escolheram a melhor dos oito artistas que se apresentaram no domingo, o que significa que Boyle vai cantar novamente na final do programa, no próximo sábado.

Com um sorriso largo, Boyle dançou de felicidade quando o resultado foi anunciado e disse que gostou de ter uma chance de se apresentar novamente. Ela usava um vestido roxo, mais maquiagem do que em sua última aparição e o mesmo cabelo desarrumado.
Segundo produtores do programa, a performance da cantora foi colocada no site Youtube quase imediatamente. A cena de Boyle cantando em sua primeira participação no "Britain's Got Talent" foi assistida por mais de 60 milhões de pessoas no Youtube.
O vencedor do programa se apresenta no Royal Variety Show, evento que tem na audiência membros da família real inglesa. Há também um prêmio de US$ 159 mil.
Boyle, que mora com seu gato Pebbles em uma das regiões mais pobres da Escócia, disse antes de cantar neste domingo que não mudaria sua aparência. "Eu só quero que as pessoas me vejam pelo que sou, e fazer o melhor cantando a música, é nisso que estou me concentrando", disse Boyle

Essa musica é lindinha d +



é isso aí
ana carolina
Composição: Damien Rice (vers.: Ana Carolina )

É isso aí!
Como a gente achou que ia ser
A vida tão simples é boa
Quase sempre
É isso aí!
Os passos vão pelas ruas
Ninguém reparou na lua
A vida sempre continua

Eu não sei parar de te olhar
Eu não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não sei parar
De te olhar

É isso aí!
Há quem acredite em milagres
Há quem cometa maldades
Há quem não saiba dizer a verdade

É isso aí!
Um vendedor de flores
Ensinar seus filhos a escolher seus amores

Eu não sei parar de te olhar
Não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não vou parar de te olhar

É isso aí!
Há quem acredite em milagres
Há quem cometa maldades
Há quem não saiba dizer a verdade

É isso aí!
Um vendedor de flores
Ensinar seus filhos a escolher seus amores

Eu não sei parar de te olhar
Eu Não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não vou parar de te olhar

Francês cria "lava a jato de cachorros"

Um francês inventou uma máquina para lavar cachorros. O Dog-O-Matic, criado pelo empresário francês Romain Jarry, 31, dá banho e seca os animais em cerca de 30 minutos.

Jarry abriu uma loja na cidade de St. Max, próxima a Nancy, no nordeste da França. A novidade vem fazendo sucesso entre os clientes. O empresário espera lançar a máquina no Reino Unido no próximo ano.

A máquina lava cães de diferentes tamanhos. Os preços variam de 13 euros (cerca de R$ 36) para cães de pequeno porte, 22 euros (R$ 62) para os médios e 31 euros (R$ 87) para os grandes. O Dog-O-Matic também funciona com gatos.

O ciclo de lavagem e enxágue dura cinco minutos, e a secagem demora 25 minutos. A máquina usa água morna e um xampu especial que não irrita os olhos dos animais. O ciclo pode ser interrompido a qualquer momento pelo dono do animal.

Jarry diz que sua invenção tem sido boa para pessoas que têm cães e gatos que ficam muito agitados na hora do banho.

"Por não haver intervenção humana durante o banho, o cão acaba se acalmando sozinho, muito mais rápido do que se o dono estivesse tentando acalmá-lo", diz Jarry.

Megan Fox assume ser bissexual e diz que "homens são sujos"




Los Angeles (EUA.), 13 mai (EFE).- A atriz Megan Fox, protagonista da saga "Transformers", confessou ser bissexual em entrevista concedida à revista "Esquire", e afirmou que nunca manteria uma relação com uma mulher que tivesse ficado com homens antes, pois "os homens são sujos".


"Não tenho dúvidas na minha cabeça de que sou bissexual", disse Fox em uma reportagem que será publicada na edição de junho da revista.

A atriz confirmou, assim, que gosta de pessoas dos dois sexos, algo que já tinha sido revelado por causa de uma relação que manteve com uma menina quando era adolescente.

Fox, de 22 anos, que sempre negou ser lésbica e que atualmente namora Brian Austin Green (o David de "Barrados no Baile"), disse que nunca se relacionaria com uma menina bissexual "porque isso significaria que dormiu com homens, e os homens são sujos".

A estrela afirmou ter muita certeza de sua sexualidade e não se mostrou irritada com o fato de ser vista como um objeto sexual, mas disse não saber como lidar com isso.

"Não quero ser uma Scarlett Johansson, contra quem não tenho nada, mas não quero ter de ir a programas e usar todas as palavras cultas que aprendo para que me levem a sério: 'Sou inteligente, sei falar'. Não quero fazer isso", afirmou.

Além disso, a atriz afirmou à revista "Elle" que não se interessava pelos jovens de sua idade, como Robert Pattinson and Zac Efron, os quais disse ser "uma perda de tempo" pois "não têm nada a acrescentar em uma conversa, são imaturos", e deixou claro sua predileção pelos homens na casa dos 30.


Megan Fox estreará "Transformers - A Vingança dos Derrotados" em junho no Brasil. EFE

Recomeçar de novo


(São Paulo, BR Press) O trunfo do livro "Recomeços" (Editoras Saraiva e Versar, R$ 29), da jornalista e compositora Lina de Albuquerque, é mostrar como 26 pessoas, entre famosos e anônimos, lidaram com profundas mudanças em suas vidas. Na obra, homens e mulheres, famosos e anônimos, ricos e humildes, empreendedores e funcionários, artistas e religiosos contam como enfrentaram as maiores e mais profundas mudanças de suas vidas. São depoimentos francos, abertos, emotivos.


Narradas em primeira pessoa, as histórias exploram os momentos em que os que os depoentes tiveram que reinventar seus caminhos diante de golpes do acaso ou escolhas pessoais, compelidos a examinar antigos valores e criar novas redes de afetos, crenças, ou laços profissionais. Lina de Albuquerque fez a seleção dos personagens e transformou suas entrevistas em relatos que privilegiam um traço comum que norteia essas experiências de superação: o da reafirmação da vida.

Estão no livro depoimentos de personalidades como Elza Soares, Barbara Paz, Lily Marinho, Dorina Nowill, Chico César, Paulo Borges, Adriana Bombom, DJ Zé Pedro e Lucinha Araújo, que convivem com relatos de pessoas anônimas, como o pedreiro Evando dos Santos, que se alfabetizou aos 18 anos e fundou 37 bibliotecas pelo Brasil, e a economista Giuliana Marsiglia, que deixou uma rotina estressante no mercado financeiro para administrar uma pousada no litoral e viver com um pescador.

Personalidades populares como Rita Cadillac, a ex-chacrete que durante anos subiu voluntariamente no palco do Carandiru, dividem experiências com figuras eruditas, como o pianista João Carlos Martins, que perdeu os movimentos das mãos e iniciou uma carreira de regente aos 64 anos.

Lina ainda é letrista de músicos como Fernanda Porto, e criou, com o parceiro Gedley Braga, um projeto de composições na internet batizado de Lavadeiras (myspace.com/lavadeiras), que será lançado no final do ano na voz da cantora carioca Helena Cutter (myspace.com/lavadeirashelenacutter).

Frases dos depoentes:
"Perdi um filho, enfrentei doenças. Tive dois casamentos felizes. E me casei pela segunda vez aos 67 anos. Eu travei um embate com a vida. Venci. Não gosto de perder nenhuma batalha". (Lily Marinho)

"Não gosto da ideia de provocar piedade. Por causa disso já pensei em parar. Mas se eu tivesse desistido da música por causa dos acidentes com as mãos, jamais teria me tornado um regente aos 64 anos. Vivo a minha melhor da minha vida". (João Carlos Martins)

"O duro que dei na vida nunca afetou a minha capacidade de amar. Amo com o mesmo envolvimento que sinto pela música. Afinal, ela salvou a minha vida". (Elza Soares)

"O apresentador de televisão me perguntou: "É difícil ser repórter de uma perna só?" Respondi: "É mais difícil do que com duas, mas é mais fácil do que com quatro"." (José Hamilton Ribeiro)

"Abençoado foi o dia em que saí para consertar um vazamento e voltei carregando 50 livros doados. Ajudei a criar 37 bibliotecas pelo país e ainda devolvi para a sociedade um centro cultural projetado por Niemeyer. Nada mal para um ex-pedreiro que se alfabetizou aos 18 anos". (Evando dos Santos)

"Eu só podia fazer caridade com o que sabia. Cantando e dançando no Carandiru, ganhei respeito dos presos e consideração do médico Dráuzio Varella. Deixei de fazer filmes pornográficos para, aos 54 anos, virar tema de um longa-metragem de Toni Venturi, um diretor premiado. E, ainda no meio das filmagens, me casei e conheci uma irmã que nunca soube da existência". (Rita Cadillac)

"Quando assumi a minha homossexualidade e desfiz um casamento que me deu duas filhas, cerrei as cortinas de um teatro para recomeçar uma vida de verdade". (Luis Mott)

"Meu futuro parecia garantido. Para que arriscar uma mudança numa fase tão estável? Porque estar razoavelmente satisfeito não é o mesmo que ser feliz." (Reinaldo Polito)

"Vivo meus melhores dias por ter deixado de controlar a vida como se fossem finanças de um banco. Deixei de ser uma estressada operadora da bolsa para viver junto ao mar e com um pescador que amo". (Giuliana Marsiglia)

O lançamento de "Recomeços" acontece nesta quinta (14/05), na Saraiva do Shopping Higienópolis, a partir das 19h30. A livraria fica na Av. Higienópolis, 618 Loja 315 - Piso Higienópolis; (11) 3662- 3060.

Globo deve estrear novo reality show no segundo semestre


Está quase tudo acertado na Globo para um novo reality show, segundo a coluna Outro Canal, do jornal Folha de S.Paulo. José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boninho, responsável pelo Big Brother Brasil, está viajando em busca de locações para as gravações. Ainda não há data certa, nem formato definidos, mas o programa deve estrear no segundo semestre, aos domingos, logo após o Fantástico.

A tendência é que seja um reality de aventura, parecido com Hipertensão e No Limite, exibidos pela emissora no começo dos anos 2000. Por isso, Boninho estaria buscando locações pelo País.

Roberto Naar deixará nesta sexta-feira (8/5) a direção do Mais Você para empenhar-se exclusivamente neste reality. O programa de Ana Maria Braga voltará a ser dirigido por Cacá Silveira.

A intenção da Globo é ter uma maior diversidade de programas na sua grade, atualmente dominada pela teledramaturgia. Boninho deve apresentar a Manoel Martins, diretor-geral de entretenimento, três projetos de realities.

'Ronaldo é mais super-herói que Wolverine', diz técnico do Corinthians

Ator Hugh Jackman chegou à cidade nesta terça-feira (5).
Na quarta ele dará entrevista sobre o filme, no Rio de Janeiro.




Em visita ao Brasil, Hugh Jackman esteve no Centro de Treinamento do Corinthians, no Parque Ecológico, para conhecer a equipe campeã paulista. O ator, protagonista de "X-Men - Origens: Wolverine" se encontrou com Ronaldo, com quem trocou camisas.

Questionado sobre quem era mais super-herói, Ronaldo ou Wolverine, o técnico Mano Menezes foi categórico em afirmar: o atacante do Corinthians. "Ronaldo é mais super-herói do que o Wolverine, até porque acompanho mais futebol [do que cinema ou quadrinhos]." Mano afirmou que tudo foi muito bem organizado e que a visita ilustre não atrapalhou o treino desta terça-feira (5).
Esta não é a primeira visita de Jackman ao Brasil. Ele esteve aqui em 2001, divulgando o filme “Swordfish – A senha”. Em entrevista ao G1, ele afirmou que tinha ótimas lembranças do país. "Amei o Brasil, me lembra muito a Sydney. Não vejo a hora de voltar."

“X-Men – Origens: Wolverine” antecede os acontecimentos de “X-Men – O filme”, revelando o passado violento e romântico de Wolverine, seu complicado relacionamento com Victor Creed e o nefasto programa Arma X.

Breve em DVD

A Festa do Garfield

Garfield, o gato mais preguiçoso e comilão do mundo está de volta nesta animação. Desta vez, ele terá um adversário pela frente, que pretende ganhar o primeiro lugar no já tradicional concurso de humor e de quebra ainda ficar com a garota Arlene. Garfield é favorito ao título de comediante do ano no Fun Fest, mas surge um belo novato felino, Ramone. Para garantir que vencerá o concurso e o coração de Arlene, Garfield e Odie partem para uma jornada em busca da lendária água da diversão. E diversão é que vem pela frente!

Eric Bana lança documentário sobre seu amor pelos carros

O ator Eric Bana, 40 anos, astro de filmes como Tróia e Munique, exibiu nesta semana aos nova-iorquinos no Festival de Cinema de Tribeca uma faceta diferente da sua vida aparentemente glamorosa: a paixão por carros e corridas.
O monstro verde de Hulk (2003), que volta às telas dos EUA em 8 de maio na megaprodução Jornada nas Estrelas, estreou na direção fazendo um documentário que aborda seu amor pelos carros. Mas, segundo ele, o verdadeiro tema é a amizade e a importância de ter interesses além do trabalho e da carreira.

Love the Beast ("Ame a fera") mostra a obsessão de Bana por seu surrado Ford GT Falcon Coupe 1973, que ele chama de "The Beast". Bana está com o carro desde os 15 anos de idade, e diz que o veículo foi importante na sua vida porque evitou que ele circulasse pelas ruas e o manteve "longe de problemas confusão quando eu era mais jovem".

O autor australiano contou que adora atuar e que acharia difícil viver longe do cinema, mas que, como entusiasta dos automóveis, se sentiria "devastado se alguém levasse as chaves do meu carro embora e dissesse que eu não poderia tê-lo de volta".

Love the Beast acompanha o trabalho de Bana e seus amigos para transformar o velho Falcon Coupe em um carro de corrida para participar de um rally de cinco dias em estradas do sul da Austrália.

Personalidades como o apresentador de TV Jay Leno também dão depoimentos no filme, e Bana mostra imagens da sua infância para ilustrar o passado com o carro.

"Eu sentia muito apaixonadamente que a história poderia ressoar junto a qualquer um que tem esses fortes interesses, e não tem a ver com carros - 'amar a fera' sendo uma metáfora de qualquer fera que você tenha na vida."

"Para mim, a história é muito a respeito disso - não acho que o fato de eu ter um carro há 25 anos seja tão interessante", acrescentou.

Fernando Meirelles visita set do filme de Stallone



O diretor de cinema Fernando Meirelles visitou o set de filmagens de Os Mercenários, filme estrelado por Sylvester Stallone, Jason Statham e Giselle Itiê. Meirelles, que é sócio da O2 Filmes, co-produtora do longa, passou pelo set ao lado de Andrea Barata Ribeiro, que também é sócia da empresa. Os dois estavam vieram ao Rio de Janeiro para o Grande Prêmio Vivo de Cinema.

Depois de três semanas em território brasileiro, o time encerra as gravações locais do filme

Stallone e o elenco embarcam para os Estados Unidos para dar continuidade às filmagens, que prosseguem em Nova Orleans, em Louisiana. No entanto, antes disso, eles terão duas semanas de descanso.

Filmes sobre o Brasil exibidos em NY enfocam fome e favelas

Dois documentários sobre o Brasil lançados na última semana no Festival de Cinema de Tribeca, em Nova York, enfocam como famílias pobres brasileiras lidam com as dificuldades e a fome.

Garapa, do premiado diretor José Padilha, acompanha a vida de três famílias e a rotina de crianças mal nutridas que bebem garapa para combater a fome.

Filmado em preto e brando e sem efeitos especiais, nem mesmo música, o filme mostra as dificuldades enfrentadas pelas famílias.

"As pessoas assistem ao filme e percebem que nunca souberam o que a fome significa para as famílias que a enfrentam diariamente", disse Padillha, diretor de Tropa de Elite, à Reuters.

"É um filme sobre famílias específicas, mas como essas condições existem em todos os lugares do mundo, você pode ter uma ideia de como a fome afeta a todos", ele disse.

De acordo com as ONU, mais de 950 milhões de pessoas ao redor do mundo passam fome. A expectativa é que esse número cresça com a crise financeira global e o aumento dos preços de commodities.

Padilha, 41 anos, vive no Rio de Janeiro e as filmagens foram no Estado do Ceará. Ele afirmou que entre suas motivações para fazer o filme está o fato de que, enquanto o problema da fome cresce, líderes mundiais e o público não tratam o assunto como prioridade.

"Nós sabemos muito sobre a fome, nós sabemos os fatos e nós sabemos o quando custa para erradicá-la", ele disse, adicionando que motivações políticas impedem sua priorização.

"Você sabe, se você ajuda crianças pobres na África, aquelas crianças pobres não votam nas próximas eleições em seu país rico."

Outro documentário sobre o Brasil no festival, Only When I Dance (Apenas quando eu danço), enfoca dois jovens negros vivendo em uma favela do Rio de Janeiro e os esforços deles para se tornarem bailarinos internacionais.

A diretora Beadie Finzi, que vive em Londres, afirma que sua idéia é contar uma história positiva em um cenário de dificuldades enfrentado por muitas famílias da classe trabalhadora no Brasil.

"A disparidade e as divisões neste país maravilhoso são sintetizadas no Rio com os extremamente ricos, educados e afluentes convivendo com as favelas mais perigosas, difíceis e pobres", ela disse.