No 'BBB' que levantou a bandeira gay, os "machões" venceram



Nunca na história do nosso País, como diz o presidente Lula, um reality show mostrou, com tanta profundidade, a relação humana da forma como o Big Brother Brasil 10. Nesta edição, a bandeira das minorias foi a da vez, levantada e fincada num pedestal. Passaram pela "casa mais vigiada do Brasil" - bordão do apresentador-tigrão-poeta Pedro Bial -, três homossexuais assumidos, alguns cujos nomes já circularam na boca dos assíduos de afamadas baladas gays do Rio e São Paulo e outros que, talvez, ficarão dentro do armário pro resto da vida.

Tais participantes logo serão esquecidos e, ao contrário dos novos milionários - como foram Rafinha, Mara, Max -, cairão no ostracismo ou tentarão a vida participando de quadros sensacionalistas da TV brasileira. Mas se o BBB conseguiu dialogar com as minorias sexuais, foi também palco para guerras sociais, travadas entre belos e feios, magros e gordos, sarados e flácidos. Um campo de batalha propício para a supremacia da intolerância.

No circo televisivo às avessas, com o passar do tempo as alegrias foram transformadas em mágoas e as máscaras, aos poucos, caíram. Com elas no chão, os "brothers" mostraram suas reais caras - isso para quem acredita que a brincadeira não é arquitetada ou, como dizem os céticos, manipulada.

O tão sonhado e apregoado R$ 1,5 milhão pesou na consciência de cada um, como se a disputa pelo prêmio fosse o gatilho, a porta de entrada para o show de horrores que se configura a humanidade. E, embalados pela onda permissiva do reality, a teleplateia, cansada de suas repressões sociais e do chato politicamente correto, também perdeu, junto, suas máscaras após dez anos.

Nas primeiras seis edições do programa, invariavelmente, o bonzinho sagrava-se vencedor, como o que inaugurou a "dinastia", Kleber Bambam, que chegou ao Olimpo do BBB acompanhado de sua boneca-cabide improvisada, em 2002.
A partir da sétima edição, o fim da era jedi se configurou e os espertinhos (mauzinhos? danadinhos?), começaram a crescer e aparecer. A vitória do polêmico Diego Alemão, em 2007, é prova disso.
O ápice do "faça a guerra, não faça o amor" acontece com a ascensão do lutador de vale tudo e jiu-jitsu, Marcelo Dourado. Um brother eliminado em seu primeiro paredão, na oitava semana do BBB 4, que voltou por uma obra da sorte e jogou tão bem a ponto de ser encarado pelo público como homem verdadeiro, cujas derrotas na vida (e não no ringue) lhe fizeram vencedor.

Nos 78 dias de confinamento, Dourado teve atitudes que, se não tivessem sido milimetricamente arquitetadas, seriam encaradas como um típico quadro de esquizofrenia. Brigava quando estava no limite, mas sempre se "arrependia" e pedia desculpas. "Pai, perdoai-os, eles não sabem o que fazem". Tal frase foi citada, com suas devidas modificações, por Pedro Bial, quando El Douradon proferiu a pérola "hétero não pega aids", repercutida em páginas e páginas de jornais e, depois de muita ladainha, resultou num pedido formal de esclarecimentos do Ministério Público.

Resumidamente, Dourado quis dizer que se um homem tem o vírus HIV, com certeza já teve uma relação sexual com outro em algum momento da vida. Declaração irresponsável, especialmente quando, afirmam as estatísticas da Organização Mundial de Saúde, mais mulheres e jovens - heterossexuais - estão contraindo a doença porque não se protegem adequadamente durante as relações sexuais.

A pouca informação de Dourado segue o estigma da aids, amplamente espalhado nas décadas de 1980 e 1990, quando o vírus era vulgarmente - e bote vulgar nisso - conhecido como "doença de viado". O lutador afirma que tal informação veio de um conhecido médico. Ao soltar a grosseria, a polêmica virou-se para seu lado, de forma positiva. Com pobres palhaços de circos expostos a ponto de falarem o que desejam, sem o mínimo veto da emissora que os colocou no ar em rede nacional, a plateia estava à vontade. Conseguia, enfim, se expressar diante de um mundo cada vez mais colorido e ameaçador. O que aconteceria dali pra frente? Onde ficaram os valores religiosos? E a família brasileira?
Dourado reverteu esse jogo. Mostrou que o mundo não era tão aberto como se pensava. Foi herói (como a maioria deles, contraditório), pois agradou gregos e troianos. De filhos a avós. Foi genial. Dentro da casa, seu preconceito foi revertido em tolerância - exceto quando explodia. Cabe lembrar.
Mas o lutador tinha total consciência de seus atos. Pedia perdão porque sim, lhe convinha. Fez amizade com Serginho e Dicesar porque seus colegas de confinamento os aceitavam, numa boa. Mais ainda, o público também poderia aceitá-los. Obviamente, ele sabia que nadar contra a maré seria sua morte no programa. Deveria agir na defensiva, mas jogando. Essa é a mensagem principal: jogar, sem que ninguém perceba.

Por sua vez, os gays da casa estavam longe de agradar o público padrão. Afeminados, falavam de sexo sem meias palavras, davam selinhos, citavam gírias afetadas, desconhecidas por grande parte dos espectadores - e justamente por isso despertavam o ódio até mesmo dos seus companheiros dentro e fora do armário, que não gostavam de serem retratados daquela forma. Era a confirmação de um preconceito.

A grande vitória dessa edição é que o Big Brother Brasil 10 tornou-se um espelho da sociedade brasileira. Caetano Veloso estava certíssimo ao escrever, na letra de Sampa, que "Narciso acha feio o que não é espelho". Os narcisos finalmente se viram retratados no reality show mais assistido do Brasil. Dar "aquela espiadinha" funcionou como terapia.
No mundo perfeito da casa do BBB, todo mundo diz o que pensa. Alegria para os dois lados: o da Globo, que conseguiu renovar uma franquia que já estava para lá de gasta, e o da sociedade, que ao contrário do que se pensava.

não vejo BBB acho uma porcaria esse Texto retirei de um site
mas o que gostei é que os machões venceram só isso risos...

Discurso de Bial tenta remediar problema criado pelo programa

Ao montar o elenco do BBB10 com três gays assumidos entre 17 participantes – quase 20% do total – a Globo deu um passo ousado. Lembre-se que estamos falando de uma emissora cuja direção jamais permitiu a exibição de um beijo entre dois homossexuais numa novela, clássica obra de ficção.

Dicesar, Serginho e Angélica entraram na casa dando show, conscientes que não estavam ali por acaso. Formavam um núcleo, que o diretor Boninho fez questão de sublinhar, chamando-os de “coloridos”. Ou seja, eram diferentes dos demais, tinham consciência disso e, para não restar dúvidas, foram claramente carimbados.

O que poderia resultar dessa “inclusão”, para usar uma palavra politicamente correta, num ambiente de guerra? Num jogo em que todos os participantes, em busca da cumplicidade do público, são inimigos uns dos outros e apenas um vence a batalha final? Evidentemente, “a questão homossexual” seria um tema presente – e foi, do primeiro ao 75º dia do BBB10.

Especialmente com a ajuda de Cacau, que encarou o assédio de Angélica de forma gaiata; de Michel, que estabeleceu uma cumplicidade com Serginho; de Dourado, que abertamente entrou em confronto com o trio “colorido”; e do trio Boninho-Bial-Mr. Edição, que realçou o assunto de todas as formas, inúmeras questões ligadas à homossexualidade foram discutidas abertamente, de forma inédita, que eu lembre, no horário nobre da tevê brasileira.

Em público, o diretor Boninho, como de hábito, fingiu ignorar o que acontecia e, tanto em diferentes entrevistas quanto no seu Twitter, bateu insistentemente numa mesma tecla: o BBB é um jogo, não é um programa cultural, não é lugar para ensinar nada, estamos aqui apenas pela audiência e pelo dinheiro.

O problema é que, desta vez, a criatura foi maior que o criador. E uma parcela do público chiou. Surgiu na Internet e ganhou o mundo a palavra “heterofobia” – como se aqueles três homossexuais do programa tivessem a capacidade e o poder de simbolizar a opressão de uma minoria sobre uma maioria.

Para complicar um pouco mais o enredo, as marionetes do genial titereiro do BBB10 fizeram alguns movimentos não previstos. Dourado falou que homens heterossexuais não pegam Aids, trazendo de volta o fantasma da “peste gay”. Disse que perdeu o apetite ao ouvir uma conversa de Serginho sobre baladas gays no almoço. Lamentou que Angélica não fosse homem, pois, então, poderia quebrar os seus dedos. E cobrou de Dicesar que ele agisse como homem, “apesar de ser veado”.

A rivalidade que sempre existe entre torcidas de candidatos do BBB, estabeleceu-se, desta vez, em torno da questão sexual. Em alguns ambientes, como Twitter, blogs e fóruns, o diabo calçou Kichute, enviou ameaças a blogueiros e comentários pesados, como este, registrado sexta-feira neste espaço: “O grande problema desse BBB10 foi juntar gays a seres humanos! Força & Honra Mestre do Universo, Força Mestre Dourado!”

É difícil acreditar que o “boss” possa ter previsto isto. Mas ele insistiu em dizer que não estava nem aí. Há uma semana, fazendo sua conhecida pose de mau, voltou a afirmar, em entrevista à “Folha”: “Não colocamos ninguém no BBB para discutir homo ou heterofobia, minorias... Não escolhemos um personagem representando coisas. O fato de ser ou não homossexual não é para interagir no jogo. Não estou preocupado se o cara é gay ou não. Ele não vai entrar por ser gay, mas pelo que traz para a competição.”

Tamanha falta de seriedade teve um contrapeso neste sábado, no discurso que Pedro Bial preparou para a eliminação de Dicesar. Sem piadas de mau gosto, sem metáforas constrangedoras, sem psicologia de botequim, o apresentador foi direto ao ponto: “O BBB deturpa, deforma o retrato. Depois de tanta exposição, vocês se tornam caricatura”.

Em vez de mencionar os vários preconceitos de Dourado e as respostas sem pé nem cabeça de Dicesar, Bial lembrou uma rara “declaração de amor” de cada um dirigida ao outro no programa. “Aqui fora vocês têm que encontrar um meio de conviver, compartilhar”, disse aos dois, mirando, na verdade, as respectivas torcidas dos candidatos. “Vocês sabem que violência não é a solução”, disse o nosso Gandhi, conclamando os dois a darem as mãos.

Soou piegas? Soou. Pareceu ridículo? Pareceu. Deu vontade de rir? Deu. É assim que vai se educar a população a compreender e respeitar as diferenças? Lógico que não. Mas é impossível não reconhecer que Bial tentou remediar uma situação criada pelo programa. Já é alguma coisa.

fonte

http://mauriciostycer.blog.uol.com.br/

Pai diz que Nardoni tem 'coração tranquilo' por não ter feito mal à filha

Ele lamentou comemoração de público durante leitura de sentença.
‘Temos convicção de que eles não fizeram nada’, acredita avô de Isabella


O pai de Alexandre Nardoni, o advogado Antônio Nardoni, disse nesta segunda-feira (29-03-2010) que o filho está com o “coração tranquilo”, porque sabe não ter feito nada contra Isabella. Alexandre e Anna Carolina Jatobá foram condenados na madrugada de sábado (27-03-2010) pela morte da menina, ocorrida há dois anos. O avô de Isabella visitou o filho na penitenciária de Tremembé, neste domingo (28-03-2010). “Ele tem tranquilidade, está com o coração tranquilo, porque sabe que não fez nada contra a filha dele”, afirmou.

Antônio Nardoni afirmou que só tem “a lamentar, porque há outras duas crianças [filhos mais novos do casal] que sofrem com a falta do pai e da mãe”. “É muito difícil para a gente, temos convicção de que eles não fizeram nada. Eu lamento muito que nossa Justiça seja assim, agradando a alguns, sem buscar a verdade”, disse ele. Para o avô de Isabella, o casal foi condenado sem um prova sequer.

Ele também comentou a comemoração fora do prédio do Fórum de Santana, na Zona Norte de São Paulo, durante a leitura da sentença. Pessoas que esperavam o resultado soltaram fogos de artifício e o barulho podia ser ouvido dentro do plenário. “Eu acho lamentável, o Brasil deve ter ganhado a Copa do Mundo. As pessoas estavam comemorando o quê? Que minha neta continua morta e condenaram dois inocentes?”
Antônio e a mãe de Alexandre estiveram com o filho neste domingo (28-03-2010), no primeiro dia de visitas após a condenação. Enquanto seguia para a entrada do presídio, o pai comentou rapidamente sobre a condenação. “Acho que a pena já estava dosada há dois anos", afirmou. Ele disse que ainda crê na anulação do julgamento. “Nesse país, é difícil acreditar em alguma coisa, mas nós acreditamos.”

Os advogados que defendem o casal Nardoni recorreram da condenação neste sábado (27-03-2010), logo após a decisão dos jurados. Até agosto de 2008, o réu tinha direito a ser julgado novamente se a condenação fosse acima de 20 anos. Mas essa regra não existe mais na nova lei. Como o assassinato de Isabella foi antes dessa mudança, alguns juristas acham que a defesa vai poder buscar na Justiça o direito de anular esse julgamento.

Defesa de Nardonis critica sociedade por prejulgamento

O advogado criminalista Roberto Podval, que defende os Nardonis, encerrou sua parte no debate dizendo que, se a imprensa e a sociedade tivessem outra postura no caso, o destino do casal poderia ser outro. "Se não houvesse essa loucura toda (olha para os jornalistas da sala), eles seriam absolvidos, porque não há provas. Eles entraram condenados sem serem julgados." Antes disso, ele já havia reforçado: "Aí nossa sociedade clama por justiça. Pobre da nossa sociedade."

Ele também citou o caso de Madeleine McCann, que aos 5 anos desapareceu quando visitava Portugal com os pais. Em determinado ponto da investigação, eles foram colocados como suspeitos.

Por volta das 16h50, o advogado terminou sua parte citando uma frase de Chico Xavier. "Ninguém pode voltar atrás e fazer um novo começo, mas podemos fazer um novo fim", afirmou ao júri

CASO ISABELLA NARDONI

não se fala de outra coisa desde segunda-feira. 22-03-2010



Eu gostaria de me manifestar nesse nosso espaço de DVDs informação humor etc..

A verdade é que ninguém tem condições de manifestar um veredito certo, capaz de apontar quem realmente matou a pobre menina. Tudo que temos até agora são pequenas partes das investigações costuradas pela imprensa, que por sinal já os condenou logo no dia seguinte ao crime.







Eu esto aqui indignado com essa imprensa não consigo ver ninguém defendendo o casal Nardoni

Dizem que eles são frios, que foram calculistas nossas tantas coisas

Eu fico vendo a imprensa só acusando, acho que existe uma manipulação enorme de apontar que eles que são culpados.

Sabe quando vou acreditar que eles são culpados de verdade?

Quando sair da própria boca deles
- Eu matei a minha filha ai sim eu acredito
e -Eu (madrasta) ajudei

Mas enquanto não houver uma confissão eu acredito que eles são inocentes e isso mesmo

Eu acho que tinha uma terceira pessoa nesse caso




Mas se eles abrir a boca e se confessar ai eu acredito que eles mataram a menina
Mas não vi ninguém dizer realmente podia ter outra pessoa ?

só o advogado de defesa

Jesus será que não esta havendo uma injustiça e se realmente eles forem inocentes?
Puxa não vejo a imprensa defender eles em hipótese alguma


Só sei que deito na cama todos os dias e quando reflito nesse caso eu peço que Deus ilumine eles pois eles podem estar sofrendo da pior injustiça do mundo !


Quase perfeito, “God of war III” é a nova obra-prima dos videogames

Poucos são os jogos que conseguiram influenciar uma geração de títulos. “God of war”, lançado para o PlayStation 2 em 2005, foi um deles. Após o seu grande sucesso, produtoras tentaram copiar a fórmula que une um esquema de jogo perfeito, com controles rápido, um visual gráfico muito bem trabalhado e uma história profunda que traz drama, traição e vingança.

Após o lançamento do excelente “God of war II”, lançado em 2007 também para o PlayStation 2, a espera pelo capítulo final da trilogia parece que foi mais árdua. Afinal, seria a primeira vez que veríamos o herói Kratos em um console da nova geração, mostrando ainda mais elementos de uma franquia que preza pela grandiosidade tanto da ação quanto dos inimigos, com gráficos detalhados e mais violência.






O Santa Monica Studio, desenvolvedora da própria Sony, mais uma vez, não decepcionou sua grande legião de fãs. A equipe conseguiu levar para o PlayStation 3 um dos melhores jogos já feitos em todos os tempos, praticamente sem defeitos, com aventura na medida certa, quebra-cabeças complexos e uma história de vingança complexa que deixa para trás a maioria dos grandes filmes de Hollywood. “God of war III” fecha a trilogia com chave de ouro e consegue superar seus antecessores em todos os quesitos.

Série evoluiu com a tecnologia
Do decorrer de três jogos, o jogador acompanhou o desenvolvimento de um personagem complexo. Kratos era um servo dos deuses do Olimpo, foi traído por eles, matou sua própria família, eliminou exércitos e mais exércitos de inimigos, tornou-se o deus da guerra, perdeu o trono, morreu, voltou do inferno e, agora, busca de vingança. E como apresentar ao jogador todas as nuances de um homem que se tornou uma lenda?

A resposta do time de desenvolvimento do Santa Monica Studio aparece logo no primeiro minuto de jogo. Após passar por todo o tipo imaginável de sofrimento, Kratos aparece com cicatrizes e com uma cara de poucos amigos. O modelo do personagem apresenta muitos detalhes, músculos e cicatrizes. Até mesmo a textura de sua pele esbranquiçada, que lhe deu o apelido de O Fantasma de Esparta, está retratada no personagem.








leia reportagem completa
no link abaixo

Estudante de design desenvolve USB ‘infinito’

Plugue extensível visa otimizar portas USB de computadores.
Chamado de ‘Infinite USB’, produto ainda é apenas conceitual.



O 'Infinite USB' (ou USB Infinito, em português) é um plugue USB alternativo capaz de se conectar a outros plugues semelhantes, possibilitando otimizar as portas USB dos computadores. O sistema de cores distintas facilita a identificação de qual dispositivo está ligado a cada plugue USB. (Foto: Divulgação)


Criado pelo estudante de design chinês Jiang Gonglue, o 'Infinite USB' é apenas um produto conceitual e não está à venda. (Foto: Divulgação)

fonte G1

"Sonho Possível" ignora racismo para contar superação



- Há apenas um motivo para gerar curiosidade para se ver "Um Sonho Possível": o longa rendeu à queridinha da América Sandra Bullock ("A Proposta") o Oscar de melhor atriz, tirando a estatueta de Meryl Streep ("Julia & Julia"), Helen Mirren ("The Last Station"), Carey Mulligan ("Educação") e Gabourey Sidibe ("Preciosa") - todas merecendo muito mais o prêmio, em filmes bem melhores.


O prêmio de Sandra talvez tenha mais a ver com boa vontade e política de boa vizinhança do que qualidades cinematográficas. Afinal, ela trabalha em Hollywood há mais de 20 anos e nunca havia ganhado um prêmio importante. Em 2010, no entanto, fez a proeza de ganhar não apenas o Oscar, mas também um Framboesa de Ouro (o Oscar de pior filme) por "Maluca Paixão" - lançado no Brasil diretamente em DVD.

Em "Um Sonho Possível", a atriz interpreta Leigh Anne Tuohy, uma decoradora texana mais preocupada com estampas de tapetes do que causas humanitárias. Isso até conhecer o afroamericano Michael Oher (Quinton Aaron, de "Rebobine, por Favor"), rapaz grandalhão que parece levar jeito para tornar-se um bom jogador de futebol americano e que, por isso, ganha uma bolsa de estudos numa escola classe A.
Mas ele não tem nem mesmo uma casa para morar e Leigh Anne, cujos filhos estudam na mesma escola, sensibiliza-se com isso, levando o rapaz para morar em sua casa, e fazer parte de sua família.


Seu marido, interpretado pelo cantor country Tim McGraw ("Surpresas do Amor"), se encanta com o altruísmo de sua mulher e embarca na causa, dando casa, comida, roupa lavada e uma picape para o rapaz. Ah, eles também o adotam legalmente, mostrando que essa família texana é caridosa demais.
Baseado numa história real, daquelas cheias de improbabilidades e muita inspiração, o filme é dirigido e roteirizado John Lee Hancock, a partir de um livro escrito por Michael Lewis.

Apesar da boa vontade excessiva de "Um Sonho Possível", pouca coisa - ou praticamente nada - se salva no filme. O diretor parece, na verdade, ter medo de colocar o dedo na ferida, de ir a fundo a temas que surgiriam naturalmente numa história como essa, como racismo no sul dos EUA e diferenças de classe. Pelo contrário.
Esse é um filme que quer agradar sem questionar ou fazer pensar, por isso tudo é muito arrumadinho e os problemas muito facilmente resolvidos. Oher, um garoto que literalmente tem apenas as roupas do corpo, não sofre nenhum tipo de discriminação na escola - nem pelas crianças ou pelos pais de alunos.
Com sua vontade de divertir, emocionar e conscientizar, "Um Sonho Possível" atira para todos os lados e, no final das contas, sua mensagem truncada é de que se cada um fizer a sua parte e for uma boa pessoa, este será um mundo melhor.
Nada mais reducionista e monocromático do que tentar vender essa visão de Estados Unidos - e porque não do mundo - tão simples que nem os filmes infantis lidam com estereótipos como esse há muito tempo. Aliás, se "Um Sonho Possível" fosse um filme infantil, o animal tagarela, melhor amigo do protagonista e alívio cômico seria o caçula da família, S. J. (Jae Head, de "Hancock").

Ao final, com sua mensagem absurdamente paternalista, "Um Sonho Possível" mais parece um filme de propaganda de algum país colonialista mostrando como os texanos de bom coração são capazes de salvar uma pessoa da miséria e que, se todos fizerem como eles, o mundo seria um lugar melhor. Mas vale lembrar, por mundo, entenda-se um universo paralelo onde não existem conflitos ou qualquer mal-estar.

(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

Única fábrica de vinis do Brasil lança seus primeiros discos neste mês





Os primeiros álbuns da nova fase da Polysom, única fábrica de vinis em funcionamento no Brasil, estão sendo lançados neste mês pela gravadora Deckdisc. “Cinema” da banda Cachorro Grande, “Onde brilham os olhos seus” de Fernanda Takai, “Fome de tudo” da Nação Zumbi e “Chiaroscuro” de Pitty, foram os discos escolhidos para ganhar reedições no novo formato.

As bolachas têm tiragem limitada e prensagem em alta-fidelidade. “Seguimos os padrões mundiais para cada pequena coisa, os padrões que sempre deram certo. Não há improviso. A pressão da caldeira, o calor emanado, a resfriação, a niquelagem, o corte do acetato, as dimensões dos discos e rótulos, tudo isso tem que seguir à risca uma cartilha. Por isso demoramos tanto tempo para reabrir”, explica João Augusto, presidente da Deckdisc, que comprou a Polysom em 2009.

Renascimento dos vinis
Em 2009, as vendas de vinis subiram 50% nos EUA segundo dados divulgados pela Soundscan, e João acha que a tendência deve se refletir no Brasil. “A nossa produção pode chegar a 40 mil discos por mês. Acredito numa demanda alta porque já tem muitos interessados”, declarou em entrevista ao G1 em julho do ano passado.

Os artistas também se dizem contentes em terem seus discos lançados no formato. “É um sinal de prestígio”, afirma Fernanda Takai. “Nunca pensei que isso fosse acontecer outra vez. Fiquei contente por ter sido uma das primeiras nesse lançamento.”

Fernanda diz que sua coleção de discos não é muito grande. “Não tenho também uma coleção muito extensa de CDs. Costumo ter tudo dos artistas que gosto mais”, confessa, listando entre suas joias “EPs do Duran Duran com faixas raras e uns discos infantis, como o ‘Pluft, o fantasminha’, com capa do Juarez Machado” .

A vocalista do Pato Fu conta que gosta da praticidade do CDs, mas que também aprecia o impacto visual dos vinis. “Eu confesso que não tenho restrições ao som do CD, mas ter aquele espaço todo no projeto gráfico do vinil é sempre muito atraente. Talvez o que seja mais diferente nisso tudo é o ritual de pegar o disco, trocar o lado, ter um envolvimento mais físico outra vez.”


fonte g1

DVD de "Avatar" sem 3D será lançado em abril no Brasil

O DVD de "Avatar", filme que mais arrecadou em bilheteria na história do cinema, será lançado no dia 22 de abril, em que se comemora o Dia da Terra --além do Descobrimento do Brasil. O lançamento será feito simultaneamente aqui e nos Estados Unidos, conforme informações da assessoria de imprensa da Fox Film.

De acordo com o estúdio, o Dia da Terra foi para o lançamento porque os temas do filme correspondem ao propósito da conscientização ambiental desse dia.

Os recursos de 3D, que encantaram boa parte da plateia do filme nos cinemas, não estarão disponíveis no DVD. O estúdio divulgou que é possível que uma versão em 3D seja lançada em 2011 nos Estados Unidos, quando mais consumidores tenham televisores 3D em suas casas.




Desde que foi lançado nos cinemas, em 18 de dezembro, "Avatar" já arrecadou o valor recorde de U$ 2,64 bilhões (R$ 4,64 bilhões) nas bilheterias mundiais. Uma parcela grande desse total veio das sessões em 3D.

Além do DVD, a Fox também vai disponibilizar o filme em versão Blu-ray na mesma data.

“Adorei a maquiagem”, diz Depp sobre Chapeleiro Maluco

Casa construída de cabeça para baixo é atração na Alemanha



Uma casa construída totalmente de cabeça para baixo virou atração na cidade alemã de Gettorf. Equipes trabalham nos últimos detalhes para abrir o local para a visitação

A chamada "Casa Louca" possui aposentos como cozinha, banheiro, sala e quarto - todos de cabeça para baixo. Os interessados em conhecer a nova atração turística, que fica dentro de um zoológico, terão de pagar ingresso.

'Se Beber Não Case 2' começa a ser gravado este ano

O ator Ed Helms, da série The Office, já estava com tudo pronto para começar a filmar a comédia Central Intelligence, quando veio a notícia de que na prioridade da fila estava a filmagem de Se Beber Não se Case 2, continuação do filme que levou o Globo de Ouro de melhor comédia de 2009.



A informação é do site Deadline Hollywood, que antecipou que a produção de Central Intelligence, da Universal, foi adiada.

Se Beber Não Case 2 começa, portanto, a ser filmado ainda este ano e a previsão de estreia é para maio de 2011.

Desabafo de um comerciante que trabalha de domingo a domingo sem folga.

Dia 12-03-2010 Desabafo de um comerciante que trabalha de domingo a domingo sem folga. tem cliente que é nota 1000 (mil) tem cliente que é nota 100 (Cem ) e tem cliente que é nota 10 (dez) e tem cliente que é nota 0 ( Zero).

Quero desabafar pois é duro você trabalhar e vir pessoas para tirar objetos que Agente da duro para conquistar mais eu abro a boca e escrevo para todo mundo ler que Eu estou trabalhando e tem gente que esta indo para Praia para sem La aonde e eu fico aqui de domingo a domingo é só passar aqui na frente da Lan Maior todos os dias e ver que eu estou aqui as vezes cansado e muitas vezes Feliz pois Adoro o que faço .

Então Não venha roubar o que dou duro para conquistar ta legal.

Coloco isso aqui e La no meu orkut e Obrigado a todos os Clientes nota 1000 ( mil)

O Clube Recomenda

Te Amarei Para Sempre



Sinopse: Henry DeTamble sofre de uma rara modificação genética, que o faz viajar pelo tempo involuntariamente. Numa de suas viagens, ele conhece a pequena Clare, que se apaixona por ele imediatamente. Anos após anos ela espera sempre no mesmo lugar que este estranho viajante retorne. Até que os dois finalmente se encontram e a paixão começa. Porém, o curso da vida de Clare é normal e quando ela menos espera seu grande amor desaparece, sem data para retornar. Como poderia um romance suportar estas indas e vindas?

Guerra ao Terror' desbanca 'Avatar' e leva o Oscar de melhor filme. Kathryn nem tinha voltado ao seu assento quando a novidade saiu.



Kathryn, muito nervosa, diz que se arriscou com esse filme. Ela dedica o Oscar a toda a sua equipe e também aos homens e mulheres militares e prestadores de serviços do mundo inteiro.

Japoneses elegem Johnny Depp melhor ator pelo 7º ano

O público cinéfilo japonês não se cansa de Johnny Depp: o astro de Piratas do Caribe foi considerado o melhor ator pelo sétimo ano consecutivo, um recorde, segundo pesquisa da revista de cinema japonesa Screen



Com isso, Johnny Depp supera o recorde anterior de seis anos consecutivos marcado por Audrey Hepburn, nos anos 1960, na pesquisa anual Golden Grand Prix feita entre os leitores da Screen e que a revista vem conduzindo desde 1952.

Depp, que no ano passado foi considerado pela revista People "o homem mais sexy do mundo" pela segunda vez, recebeu mais de 4.500 votos para melhor ator, mais que o dobro do número dado a Robert Pattison, o galã de Crepúsculo, o segundo colocado. O terceiro foi Brad Pitt, de Bastardos Inglórios.


"A popularidade de Johnny Depp não diminuiu desde o primeiro filme Piratas do Caribe", disse à Reuters o editor-chefe da Screen, Akihiro Yonekazi.

"Ele tem uma base de fãs muito grande, que abrange desde uma geração mais jovem até pessoas mais velhas", disse o editor, acrescentando que Depp cativa o público com seus papéis em filmes de diversos gêneros, desde filmes para a família, como A Fantástica Fábrica de Chocolate, até trabalhos sérios, como Inimigos Públicos.

Este último, no qual Depp faz o papel do gângster dos anos 1930 Johnny Dillinger, foi apontado pela pesquisa como o melhor filme de 2009, superando Harry Potter e o Enigma do Príncipe, o 2º colocado, e Crepúsculo, no 3º lugar.

O próximo papel em que Depp será visto é o do Chapeleiro Maluco na adaptação feita pelo diretor Tim Burton de Alice no País das Maravilhas, que estreia na sexta-feira nos EUA e outros mercados, mas só chega ao Japão em meados de abril.

Veja os cartazes de todos os ganhadores da história do Oscar de melhor filme até 2009














Rio de Janeiro celebra 445 anos

Casal de 'Crepúsculo' vai apresentar o Oscar

Taylor Lautner e Kristen Stewart, que interpretam Jacob e Bella, respectivamente, na franquia sensação Crepúsculo, vão apresentar uma categoria do Oscar, aproveitando a tentativa da Academia em transformar a cerimônia em uma festa pop, atraente aos jovens.

Outros astros teen vão participar da premiação, entre eles Miley Cyrus, a Hannah Montana, e Zac Efron, da franquia High School Musical.

Como no ano passado, que foi dominado pelo apresentador Hugh Jackman, números engraçados vão animar a cerimônia entre uma entrega de prêmio e outra. A 82ª edição do Oscar será realizada no domingo, 7 de março de 2010.

Sony diz para jogadores não usarem o PlayStation 3 até problema ser resolvido

Veja perguntas e respostas sobre o problema de funcionamento do console
Bug em rede on-line do console da Sony prejudicou sistema do aparelho.




Na noite deste domingo (28), a PlayStation Network (PSN), a rede on-line da Sony apresentou um erro de sistema no PlayStation 3, desconectando milhões de jogadores em todo o mundo. O problema impede de jogar qualquer game, apresentando uma mensagem de falha de hardware.

Apenas demonstrações de games previamente baixados funcionam no momento, além de títulos que não utilizam sistema de Troféus, uma premiação extra ao realizar tarefas específicas dentro dos jogos. Ao tentar acessar esses games, uma mensagem de erro obriga o jogador a voltar para a tela inicial do console.

A Sony se manifestou por meio de sua conta no Twitter, informando que está trabalhando para resolver o problema o mais breve possível. Alguns usuários e a própria empresa, contudo, afirmam que os modelos “slim” do console, com disco rígido de 120 GB e 250 GB, não foram afetados pelo problema. A Sony não revelou novos detalhes sobre a solução do problema e já faz mais de 14 horas que a companhia publicou a última mensagem no Twitter.

Veja perguntas e respostas sobre o problema de funcionamento do PlayStation 3:

>>> Qual é o erro que afetou o PlayStation 3?
O erro que afetou globalmente o console da Sony, que tem o código 8001050F, afeta o relógio interno do PlayStation 3, até mesmo de aparelhos que não estão conectados à internet. Os videogames que apresentam o erro voltam o calendário para o dia 31 de dezembro de 1999 ou 1º de janeiro de 2000, provocando problemas de conexão à PlayStation Network (PSN), jogar qualquer game on-line, utilizar conteúdo baixado por meio de download e não verificar Troféus conquistados em games.

>>> O problema afeta quais usuários?
Por meio de relatos de jogadores em fóruns especializados em games pelo mundo, apenas os primeiros modelos do PlayStation 3 foram afetados. Chamados de “fat”, os aparelhos foram lançados entre 2006 e 2009. Usuários do modelo “slim” com HD de 120 GB e 250 GB afirmaram não sofrer com o problema. Entretanto, alguns consoles “slim” apresentaram o erro, bem como alguns aparelhos “fat” estão funcionando normalmente.

>>> Como corrigir o problema?
Até o momento, não há um meio de consertar o problema. Um comunicado oficial da Sony, divulgado nesta segunda-feira (1º), pede que os usuários que sofrem com o problema não utilizem o PlayStation 3 até a solução do erro. Tentar jogar com o videogame nestas condições pode ocasionar a perda de dados do progresso dos games e a perda de todos os Troféus conquistados que não poderão ser recuperados. A empresa diz que uma solução deve ser anunciada em 24 horas. Alguns usuários relatam que, após 24 horas, o erro foi corrigido automaticamente, embora a Sony não tenha confirmado a existência destes casos.

>>> O que aconteceu com os dados de jogos e de troféus?
Todos os dados dos progressos de jogos (saves) armazenados no disco rígido, games e temas comprados e baixados pela PSN não foram prejudicados pelo bug. Eles voltarão a funcionar corretamente assim que o console voltar a funcionar. A Sony, no entanto, não divulgou nenhuma informação sobre os Troféus, que, no momento, correm o risco de serem apagados das contas dos usuários.

>>> A Sony poderá fazer um recall do videogame?
Pouco provável. A empresa disse que resolverá o problema em 24 horas. O PlayStation 3 ainda não foi lançado oficialmente no Brasil. No caso de um recall, os donos do console teriam que enviar o aparelho para os Estados Unidos para efetuar a troca. Fato similar aconteceu com o Xbox 360. Antes do console ser lançado oficialmente no Brasil, usuários que tivessem problemas com o aparelho deveriam enviá-lo para a Microsoft nos EUA para efetuar o reparo ou a troca. Procurada pelo G1, a Sony do Brasil ainda não se manifestou sobre o problema do PlayStation 3.

>>> Posso jogar desconectado da rede?
Não. O problema afeta até mesmo consoles que nunca se conectaram na internet, pois ele está no sistema do aparelho. Desse modo, mesmo games off-line não funcionam. A recomendação da Sony é não ligar ou utilizar o videogame, mesmo para jogar demonstrações de jogos (demos) ou jogar títulos que não utilizam o sistema de Troféus, que, aparentemente, estão funcionando.

>>> Quem não foi afetado pelo problema, pode jogar no PlayStation 3?
Os consoles que não sofreram com o bug podem ser utilizados normalmente. Apenas os videogames que estão apresentando falhas devem continuar desligados até a Sony encontrar uma solução para o problema. A empresa disse que engenheiros do PlayStation 3 no Japão e nos EUA trabalham para tentar solucionar a falha.

A Sony do Brasil divulgou no final da tarde desta segunda-feira (1º) uma posição oficial sobre o problema:

Como é de conhecimento, alguns consumidores têm enfrentado problemas para se conectar à PlayStation Network hoje. Este problema não afeta o novo PS3 slim.

Identificamos que esta interferência está sendo causada por um bug na funcionalidade do relógio incorporado ao sistema.

Os erros incluem:
• A data do sistema PS3 pode ser redefinida para 1º de janeiro de 2000;
• Quando o usuário tenta entrar na PlayStation Network, a seguinte mensagem aparece na tela: "Um erro ocorreu. Você foi enviado para fora da PlayStation Network (8001050F)";
• Quando o usuário tenta iniciar um jogo, a seguinte mensagem de erro aparece na tela e os dados podem desaparecer na parte de Troféus: "Falha ao instalar Troféus. Por favor, saia do jogo”;
• Quando o usuário tenta definir a data e a hora do sistema por meio da Internet, a seguinte mensagem aparece na tela: "A data e hora não podem ser obtidas (8001050F)”;
• Os usuários não conseguem reproduzir determinados vídeos baixados da PlayStation Store antes da data de expiração.

Esperamos resolver esse problema dentro das próximas 24 horas. Entretanto, se você tem um modelo diferente do novo PS3 slim, aconselhamos que não use o sistema PS3, pois isso pode resultar em erros em algumas funcionalidades, tais como a gravação de troféus obtidos, além de não conseguir restaurar determinados dados.

Estamos fazendo o possível para resolver o problema e pedimos desculpas por qualquer inconveniente causado.

Para informações mais recentes, por favor, verifique o blog PlayStation (blog.us.playstation.com) ou o site PlayStation.com

Baixe o Emulador de Play 1 para Pc

clique no link abaixo para baixar o emulador







O PSX tem a maior biblioteca de jogos da história, com milhares de títulos produzidos para ele até hoje. Muitos argumentam que o console é o campeão de jogos ruins, mas não há como negar que ele foi muito importante para o desenvolvimento da indústria de jogos, já que muitas séries de sucesso como Gran Turismo, Resident Evil e Winning Eleven nasceram com o Playstation.