Fãs de games lamentam fechamento da primeira lan house do Brasil

Primeiro estabelecimento a usar o nome de lan house no Brasil, a loja Monkey Paulista, em São Paulo (SP), encerra suas atividades nesta quinta-feira (1º). No final da tarde, quando os últimos funcionários deixarem o local, encerra-se a trajetória de 12 anos de um espaço que fez história entre os gamers brasileiros.

O estabelecimento na Alameda Santos, inaugurado em 1998, foi projeto piloto de da franquia Monkey LAn4Fun, que chegou a ter 60 lojas em todo o país. O conceito de um local exclusivo para jogos, com computadores ligados em rede, foi trazido da Coreia do Sul naquele ano e ganhou força com uma geração que se acostumou a jogar interagindo com o adversário lado a lado.



Leo participou ativamente da história da lan house. Foi cliente, funcionário e organizou dezenas de campeonatos de games em diferentes unidades.

“Lembro até hoje, em junho de 99, quando ajudamos a instalar a primeira versão de um jogo então desconhecido, chamado ‘Counter-Strike’”, recorda. Maior sucesso entre os jogos de tiros de todos os tempos, o "CS" foi um dos responsáveis por lotar lan houses em todo o país.


Último dia sem jogos

Doze anos depois de importar o conceito das lan houses da Coreia do Sul, a diretoria da Monkey não quis comentar os motivos para o fechamento da primeira unidade da rede no Brasil – a última que ainda estava em atividade.

Em seu site, a loja publicou uma relação dos móveis e equipamentos eletrônicos que estavam no local, todos à venda. Na mesma página, a empresa afirma que seguirá com as atividades de eventos e consultoria.

Apesar de ser o último dia de funcionamento da Monkey, não haverá ninguém jogando nesta quinta-feira. Os computadores com configuração para jogos foram os primeiros a serem vendidos. Na tarde desta quarta-feira, restavam apenas dois deles em uma das salas que eram reservadas para os jogos, no primeiro andar.

No térreo, menos de 20 computadores com acesso a internet ainda estavam à disposição para quem quisesse ler e enviar e-mails, acessar redes sociais ou outros sites. Na manhã desta quinta, esses equipamentos também serão desligados para o fechamento da loja


fonte G1