Nunca mais (never want to see)





















Eu nasci no pós guerra, porém vi nascer outra forma de guerra o terrorismo em
11/09/2001 os terroristas massacraram e humilharam o povo americano

Não consigo achar resposta para  esse horror já se passou 10 anos e não consigo entender o por quê ?

Que ódio e esse de querer matar inocentes

O que os Estados Unidos fizeram para ser tão humilhados?

já se passaram 10 anos e vão passar 100 e 200... anos e tenho certeza que o povo americano e mundo  jamais vão esquecer esses atentados de 11/09


Sei que ainda vou ver os Estados Unidos dar a volta por cima, pois tenho certeza que  o povo não merecia tal humilhação .


Dani Bolina fim De carreira !!!

Dani Bolina: "Ex-Panicat já sofreu assédio dentro do programa" Ex-assistente de palco teria feito declarações polêmicas no programa de Ana Hickmann e cria novo atrito com o "Pânico"


Com sua saída do reality show "A Fazenda", Dani Bolina tem cumprido uma série de compromissos na Record. E sempre fazendo muito barulho. Na última semana foi ao "Tudo é Possível", de Ana Hickmann, e gravou participação no quadro "Máquina da Verdade" - onde respondeu perguntas polêmicas em um detector de mentiras profissional. O programa vai ao ar no dia 18. Ao ser questionada, por exemplo, se "algumas panicats são garotas de programa", respondeu: "Algumas são". Ainda de acordo com a assessoria de imprensa da emissora, ela também revelou que uma ex-Panicat deixou o programa depois que "sofreu assédio sexual dentro do Pânico". A notícia vazou e algumas assistentes de palco do programa da RedeTV! já se mobilizaram até para tentar impedir o "Tudo é Possível" de ir ao ar. No Twitter, Nicole Bahls condenou Dani: "Ridículo a atitude da @dbolina". "Posso adiantar que eu nao faço e nunca fiz programa... Mas nem por isso condeno, respeito acima de tudo!", escreveu.

"'Onde está a Felicidade?' foi um grande acerto", diz Bruna Lombardi


















"Esse filme foi um grande acerto. É um filme que fala de busca; e a busca pela felicidade é uma questão muito contemporânea. 


A vida da gente tem que ser experimentada e a proposta foi mostrar que você precisa ser feliz agora", comentou. Dirigido por Carlos Alberto Riccelli, marido da atriz, o longa conta a história da chef de cozinha Teodora, que depois de uma desilusão amorosa percorre o caminho de Santiago de Compostela, na Espanha, em busca de respostas para seus problemas profissionais e pessoais. 


O filme, ganhador do prêmio de melhor longa pelo júri popular no Festival de Paulínia, é a terceira produção dirigida por Riccelli e estrelado por Bruna. 


O elenco ainda conta com Bruno Gracia, Marcello Airoldi, Marcelo Adnet e Dani Calabresa, artistas com quem a atriz disse nunca ter trabalho antes. Sobre as críticas ao filme, Bruna contou estar contente com as palavras positivas e disse sentir que a missão foi cumprida. "A ideia original veio do gênero, de fazer as pessoas se divertirem. 


Quando escrevi o roteiro achei que as mulheres iriam se identificar mais, mas, para a minha surpresa, ouvia mais risadas masculinas do que femininas na exibição em Paulínia", explicou. 


 Bruna Lombardi também respondeu às perguntas dos internautas e disse que sua mudança para Los Angeles foi para se aprofundar na escrita de roteiros. "Eu nunca deixei o Brasil, o que eu fiz foi ter um segundo lugar e conhecer um pouco mais do mundo. Sem isso, eu nunca conseguiria escrever como escrevo hoje".